Cascata da Fílveda – Sever do Vouga

cascata da fílveda_20Perto de Dornelas, em Sever do Vouga, existe uma cascata selvagem deslumbrante, que se despenha do alto de mais de 40 metros em sucessivas quedas de água. A cascata da Fílveda é considerada uma das mais belas e imponentes cascatas das Montanhas Mágicas®️ e nós fomos perceber porquê! Continuar a ler

Parque de La Salette – Oliveira de Azeméis

parque la salette_08Em Oliveira de Azeméis respira-se ar puro em vários recantos e o Parque de La Salette é sem dúvida o seu melhor postal ilustrado! A cerca de 2km do centro, situado naquele que antigamente era conhecido como o Monte Castro, é considerado o ex-líbris da cidade, onde a natureza sobressai com toda a sua tranquilidade. Continuar a ler

Santuário do Senhor dos Caminhos – Sátão

santuário senhor dos caminhos_06Em Rãs, na margem esquerda do rio Vouga, encontramos fica o Santuário de Nosso Senhor dos Caminhos. Localiza-se a pouco mais de um quilómetro da povoação, pertencendo à freguesia de Romãs, concelho de Sátão, distrito de Viseu.

É reconhecido por ser um dos lugares mais significativos da Diocese de Viseu e uma das maiores romarias da Beira Alta, ao lado de Nossa Senhora dos Remédios (Lamego) e de Nossa Senhora da Lapa (Sernancelhe). Continuar a ler

S. Bento das Peras e o Parque das Termas de Vizela

s. bento das peras 02Muito mais do que simples locais de oração, os Santuários revelam-se espaços bem arranjados e ideais para o convívio em família e por esse motivo lá fomos nós à descoberta de mais um.

O Santuário de S. Bento das Peras encontra-se no cimo do monte com o mesmo nome, em Vizela, distrito de Braga, a cerca de 410 metros de altitude e possui duas capelas, uma mais pequena datada do século XVI e outra de 1970. A festa em honra de S. Bento das Peras, padroeiro de Vizela, realiza-se a 11 de Julho, sendo habitual a peregrinação dos fiéis que sobem a pé os cerca de 5 km desde o centro da cidade. Continuar a ler

Moimenta da Beira

psx_20201024_111657Moimenta da Beira é uma vila do distrito de Viseu, implantada numa zona granítica de transição, entre o vale do Douro e as terras da Beira Alta. Parte integrante da zona conhecida como “Terras do Demo” eternizadas por Aquilino Ribeiro, estas serranias beirãs esquecidas por Deus, bárbaras e agrestes, à margem da civilização. Hoje em dia a vida e os lugares transformaram-se com acessos mais fáceis e rápidos mas a paisagem continua marcada pelo trabalho da terra onde impera a ajuda mútua entre os vizinhos. Continuar a ler