Viagem ao coração do Douro Vinhateiro

A melhor forma de começar a viagem era sem dúvida com a visita ao mais belo miradouro do Douro Vinhateiro. Rumámos a Covelinhas, freguesia de Galafura, no concelho de Peso da Régua e no alto do Monte de São Leonardo encontramos o Miradouro de São Leonardo de Galafura.

Com uma vista soberba sobre o rio Douro, as suas encostas rugosas moldadas pelo Homem em forma de socalcos, as povoações dispersas e os barcos que por ali passam solitários, não é de admirar que Miguel Torga tenha ficado encantado com este local e aqui vinha com frequência, para mergulhar neste “excesso de natureza”. Junto ao miradouro encontramos uma capela em cuja fachada se encontra eternizado um poema que Miguel Torga escreveu para homenagear a beleza e inspiração deste local.

Do alto dos seus 620m de altitude possui também um parque de merendas com muita sombra, e que lugar maravilhoso para desfrutar de um piquenique! Por aqui ficámos, com o almoço que trouxemos de casa, a desfrutar da maravilhosa paisagem!

Seguimos viagem para Provesende, onde ficámos hospedados. A cerca de 10 km de Pinhão, pertencente ao concelho de Sabrosa, encontramos a encantadora freguesia de Provesende, aldeia vinhateira do Douro. Situada no cimo de um planalto, tem das melhores vistas sobre a magnífica região vinhateira, Património Mundial da UNESCO, e vale bem a pena percorrer as suas ruas, típicas e calmas, onde podemos encontrar o antigo Pelourinho, a barroca Igreja Matriz, a Fonte Velha do séc. XVIII e as várias casas senhoriais e brasonada, que atestam a passagem de famílias nobres por esta aldeia.

Em direção a Pinhão, a estrada panorâmica EN 323 é um verdadeiro encanto, difícil de descrever. Existem vários miradouros ao longo do caminho onde é possível encostar o carro e desfrutar das excelentes vistas sobre o vale do rio Pinhão. Fiquei a imaginar como deverá ser incrível fazer este percurso a pé e, para os amantes de caminhadas, existe um percurso marcado, o Trilho de São Cristóvão do Douro, com pouco mais de 4km, que tem início na Igreja de Provesende, atravessa várias propriedades vinícolas e termina na ponte romana do Pinhão.

A cerca de 5km de Pinhão podemos encontrar o miradouro de Casal de Loivos com mais uma vista deslumbrante sobre o Douro. Facilmente atingível de carro, fica mesmo em frente ao cemitério e daqui podemos ver uma grande extensão do rio Douro que ao passar por esta zona faz uma curva apertada. A seus pés, encaixado nos vales verdes com as suas vinhas em socalcos está Pinhão com o seu casario branco.

E chegamos a Pinhão, no centro da região demarcada do Douro Vinhateiro, aninhada entre o rio Douro e o rio Pinhão, com as íngremes encostas cravadas de socalcos como pano de fundo. É uma vila bastante compacta com uma agradável marginal ribeirinha. Hoje, tanto os tradicionais barcos rabelos como o Comboio Histórico do Douro fazem parte da história e identidade desta vila e de toda a região, mantidos vivos para passeios turísticos.

A Estação de Caminhos de Ferro de Pinhão, construída no final do séc. XIX, com os seus painéis de azulejos que retratam as paisagens do Douro e aspectos das vindimas é de visita obrigatória (não fomos porque já conhecia). E embora a viagem no Comboio Historio do Douro ainda esteja na “wish list” desta vez decidimos fazer o passeio de barco rabelo. Com duração de cerca de 2h navegámos até à região do Tua com a linha ferroviária a acompanhar-nos durante toda a viagem. As encostas cultivadas dominam a paisagem e as quintas sucedem-se nas margens do rio num passeio que nos ficará certamente na memória!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s